Viagem

Já pensou em viajar com apenas um dos seus filhos?

Por Patricia Papp e Fernanda Avila
@Eu Viajo Com Meus Filhos

Viajar ou mesmo fazer programas só com um deles pode ser muito saudável para relação

Já pensou em viajar com apenas um dos seus filhos?

A ideia de escolher apenas um dos filhos para fazer uma viagem pode parecer um pouco dramática, mas, por experiência própria, posso afirmar que pode ser muito bom para a relação de pais e filhos, especialmente quando a diferença de idade e de interesses das crianças é muito grande.

A primeira vez que fizemos algo assim foi quando meus pais levaram o Pedro para um hotel fazenda. Ele tinha 7 anos e a estrutura do hotel era muito bacana, cheia de atividades que ele podia aproveitar intensamente. A Luiza era pequena, tinha 2 anos, e nós aproveitamos o feriado para passear em Trancoso. 

Ela foi a filha única da casa, um momento muito legal para nós três. Fazia alguns anos já que estávamos nos dividindo entre dois filhos e, naquela vez, a atenção se voltou só para ela. O Pedro estava se divertindo tanto com os avós que, na época, nem chegou a perceber que deixou de fazer uma viagem conosco.

Depois, foi a vez do Pedro. Eu e ele fomos para Gramado e Canela, no Rio Grande do Sul, passar um fim de semana.

A cidade estava toda enfeitada para o Natal, cheia de atrações e eventos. Era uma viagem a trabalho, mas tivemos tempo de ir em parques de diversão, no zoológico, ver o desfile de Natal, almoçar e jantar juntos.

Este mês, foi a vez de eu e a Luiza fazermos outra viagem juntas. Não pude levar o Pedro pois era período de provas. Ela se mostrou uma supercompanheira de viagem. Rimos e nos divertimos muito.

Eu não mudaria nenhuma dessas experiências. Acho que cada uma delas traz uma cumplicidade diferente para a dinâmica familiar.

Meus filhos têm 5 anos de diferença. Alguns programas da irmã mais nova são muito infantis para o Pedro. Por outro lado, as atividades dele podem ser radicais demais para a Luiza. Gostei muito de ter tido aquele momento só com ela também e espero poder fazer isso de novo em outra ocasião.

Minha prioridade é viajar em família, com todos incluídos, cada um aprendendo a aproveitar os programas dos outros. Mas se houver a necessidade de não levar um dos filhos, isso não será prejudicial para ninguém na família. Nem para o que ficou de fora. Em outro momento, vai surgir uma oportunidade adequada para ele também.

Viagens da Pati

(Foto: Arquivo pessoal)