Viagem e Férias

Cinco coisas que não podem faltar na mala de mão do seu filho

Por Priscilla Perlatti

Carregar seus pertences traz um sentimento de responsabilidade aos pequenos

Cinco coisas que não podem faltar na mala de mão do seu filho

“Mãe, guarda o meu casaco?”

“Ô mamãe, tô com fome! O que tem para eu comer?”

“Manhê, cadê minha boneca???”

Durante os passeios é bem comum ouvir das meninas perguntas assim. Todo tempo elas estão atrás de seus pertences, sem nem bem saber ao certo o que trouxeram, quando e como.

Por isso arrematei um par de mochilas fofas para Stella e Lia colocarem suas coisas na hora de saírem de casa para as viagens. Elas sabem que, o que está lá dentro, elas devem cuidar e carregar.

É claro que não deixo documentos ou dinheiro para elas tomarem conta, mas a partir de aproximadamente quatro anos já é possível estimular nossos filhos a realmente serem responsáveis com aquilo que é importante para eles. Isso serve também para colocar certos limites naqueles pequenos que adoram encher nossa bolsa de tranqueirinhas - porque depois sobra para as mães carregarem todo aquele peso, não é?.

Ao fazer a malinha das crianças, deve-se levar em consideração qual o meio de transporte que será usado (carro ou avião) e o destino final do passeio, mas eu costumo sempre incluir:

  • um casaco. Aliás, já é um clássico da fala de qualquer mãe: filho, leve um casaco!
  • livro de atividades/leitura. Distração portátil para qualquer momento. Leve, não precisa de carregador, não requer prática nem tampouco habilidades para disfrutá-las.  
  • lanchinho. De preferência pequeno e em uma embalagem hermeticamente fechada.
  • UM brinquedo. As minhas filhas sempre tentam enfiar dois ou três exemplares, alegando que o casaco ocupa muito espaço na mala e nem é tão importante assim.
  • lencinhos de papel ou umedecidos. Pode contar com isso: mais cedo ou mais tarde vai rolar uma meleca. É melhor se previnir. Para as mães de meninas, pode ser de grande serventia caso o banheiro (do posto, avião ou qualquer outro lugar público) não tenha papel higiênico.

 

Importante colocar somente itens que se relacionam de alguma forma com a criança e que não sejam fundamentais para o prosseguimento da viagem (nada de dar o passaporte ou a passagem para eles, hein?) caso a mala - que deve estar identificada e ser de um tamanho compatível com a estrutura de seu (sua) dono(a) - seja esquecida ou perdida em algum lugar.

Ao carregar seus pertences, a criança desenvolve o senso de responsabilidade e começa a perceber o quanto pode ser divertido e ao mesmo tempo trabalhoso sair de casa.

comentarios