Disney Baby

Sim, ela já não é mais a mesma!

Coisas que os homens deveriam saber sobre quando uma mulher tem filhos...

Sim, ela já não é mais a mesma!

Falar que a maternidade é a experiência mais transformadora pela qual uma mulher passa não é mera figura de linguagem – é fato! 

Ela começa a enxergar em outra perspectiva, experimenta sensações e emoções que não permitem que saia ilesa. E, por mais que isso possa parecer assustador, para essa mulher, para seu parceiro e para a relação, essa é uma transformação inevitável.

O grande xis da questão talvez esteja no fato de que não é possível prever o que irá mudar, mas é fundamental estar aberto à escutar e perceber as novas necessidades e, mais ainda, a nova mulher que nasceu junto do bebê. Isso vale, princialmente, para os maridos.

Para facilitar essa tarefa, algumas mulheres nos contaram o que os homens deveriam saber sobre suas companheiras quando elas têm filhos:

  • O corpo muda. Os hábitos, também. “Eles têm que saber que nossos peitos vão ficar lindos, fartos, mas vão vazar pela casa toda, principalmente no colchão no meio da noite. E que não é estranho nem bizarro provar o leite da própria esposa”, opina Thais Mello, 32 anos, engenheira agrônoma de Piracicaba (SP) e mãe do Gustavo, de 7 meses.

 

  • Libido? O que é isso? “Maridos deveriam saber que quem amamenta fica com libido zero e que a vontade de fazer sexo demora muito, mas muito mais que o tempo do resguardo para voltar. Além disso, devem entender que há muitas maneiras de ajudar que não se resumem a dar banho no bebê ou trocar fraldas. Ouvir choro ou reclamações que parecem exageradas são parte da mudança hormonal do puerpério e devem ser tratados com o devido respeito”, defende a advogada Bruna Ramos, 34 anos, advogada, mãe de Ana, 2 anos, e Lucas, 1 mês, de Brasília (DF).

 

  • Acabou o nojinho. “Depois da maternidade, as mães desenvolvem uma certa tara por cocôs de bebê. A cada fralda, são pulos de alegria. Ela vai falar para o marido que o bebê fez 1, 2, 3 ou nenhum cocô no dia. Talvez ele encontre fotos com todos os tipos e cores de cocô que seu filho fez e que provavelmente ela compartilha essas imagens com outras amigas mães (até pediatras) e isso pode ser normal”, ressalta Thais, a mãe do Gustavo.

 

  • A culpa não é do parceiro. “Eles deveriam saber que nem todo dia estaremos de bom humor e isso não é necessariamente culpa dele, mas ele pode ajudar com as tarefas, sem que precisemos pedir e isso fará total diferença. Às vezes, até um banho espontâneo já muda o dia de uma mãe”, diz Fernanda Martins, 27 anos, formada em Moda, mãe do Bento de 1 ano e 3 meses, de São Paulo (SP).

 

  • Sempre nasce uma nova mulher. “Acho que, depois dos filhos, eles têm que saber que surge uma nova mulher. Com isso, surgem novas possibilidades e, também, expectativas, mais amor próprio, mais força e determinação. Depois dos filhos, nós refinamos nossa busca e nossos objetivos”, explica Jéssica Della Santina, 29 anos, bióloga, mãe de Ian de 3 anos e Iara de 1 mês, de São Paulo (SP).

 

  • Mulheres precisam de suporte. “Os homens precisam muito saber que a mulher vai passar por um furacão físico, emocional, hormonal, existencial, até espiritual. Isso pode trazer muita sensibilidade, muita transformação e ela vai precisar de muito suporte no pós-parto. Além disso, ela vai precisar ser cuidada para poder cuidar do bebê e vai precisar de um ‘escudo’ do mundo: o pai vai precisar fazer a função de filtrar as influências externas, como visitas, palpites familiares etc”, lista Elisa Motta Iungano, 33 anos, psicóloga, mãe do Eduardo, 4 anos, e da Clara, 2 anos, de São Paulo (SP).

 

  • As prioridades mudam. “O marido precisa saber que nunca mais será prioridade absoluta na vida dela. O rei perdeu a coroa”, compara Tamara von Tein, 34 anos, professora, de Ubatuba (SP), mãe de Cauã, 3 anos e 8 meses, e Kayra, 1 ano e 10 meses.

 

  • O olfato deve estar preparado. “Os maridos deveriam ser avisados que, durante um bom tempo, o melhor perfume que sentirão será de queijinho azedo do bebê”, brinca Fabiana Siqueira, 42 anos, dermatologista, mães das gêmeas Beatriz e Ana Clara, 3 anos, de Porto Alegre (RS).

 

(Foto: Getty Images)