Disney Baby

Expectativa X realidade: por que elas são tão diferentes na maternidade?

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Você também imaginou o papel de mãe de outra forma e foi surpreendida quando seu filho chegou?

Expectativa X realidade: por que elas são tão diferentes na maternidade?

Sabem que eu adoro comercial de margarina? Sim, daqueles em que a família senta à mesa para tomar seu café da manhã calmamente, enquanto as crianças sorriem e comem tudo o que os pais colocaram no prato! 

Por que eu gosto? Simplesmente porque me divirto em pensar na maternidade perfeita (que é a mesma, aliás, mostrada na cena da mãe com um recém-nascido no colo, com o rosto corado e um sorriso nos lábios. Fico imaginando que ninguém que tenha dormido menos do que 6 horas em uma noite poderia estar tão bonita e alegre!).

Tudo muito, muito diferente da real, que todas nós conhecemos. 

Brincadeiras à parte, são imagens como essas, que mostram a maternidade de forma idealizada, que povoam nossas cabeças, assim que engravidamos. Antes do nascimento tudo é tão silencioso, cheiroso, limpo, arrumado, que você acaba acreditando que elas são verdadeiras.

Por mais que não seja cômodo dormir com uma barriga que cresce a cada dia, ainda é mais fácil do que levantar de hora em hora para atender o bebê nos primeiros meses de vida (seu filho dorme a noite toda desde os 40 dias? Então levante as mãos para o céu, porque minha primeira madrugada sem acordar aconteceu quando a pequena fez 1 ano e meio!).

Por mais que as amigas mais próximas contem que nem tudo é fácil, você não imagina que pode chegar a considerar a ideia de largar tudo e sair correndo, depois de dias e mais dias ouvindo um chorinho que não passa. E saiba: se seu filho teve cólicas como a minha e você o acalentou sozinha, eu não preciso te conhecer pesssoalmente para te considerar uma verdadeira heroína.

Enquanto gestamos, os paninhos de boca estão guardados com um sachê perfumado na gaveta. Os lençóis estão passadinhos, sem terem experimentado o primeiro vazamento de cocô. Você olha para a caixinha de absorventes de seio e se pergunta se realmente vai usar aquilo (não só vai, como comprará mais 500, na tentativa de não sair com dois círculos molhados no meio do peito).

Você passa a bucha vegetal na auréola da mama e pensa que aquele pequeno incômodo está te preparando para amamanter. Até que seu filho nasce, e você descobre que a amamentação pode ser muito mais complexa...

Enfim, na maternidade, a expectativa e a realidade são muito, muito diferentes! Porque não dá para imaginar que possa ser tão difícil criar um filho - afinal, provavelmente tudo o que você fez antes disso foi mais fácil. Então como estimar a dificuldade?

A parte boa é que você também não consegue antecipar o amor que sentirá pelo filhote. Que, por não ter limites, é o que você passa a chamar de verdadeiro amor. 

(Foto: 123RF)