Dentro de Casa

Paixão pelos livros desde cedo

Saber escolher os livros mais indicados para cada faixa etária é o primeiro passo para incentivar a leitura

Paixão pelos livros desde cedo

A leitura é essencial para a formação das crianças. Contos de fadas, gibis, livros interativos, livros-brinquedos, livros de tecido ou até de banho. O importante é, desde cedo, oferecer aos pequenos o contato com esse mundo mágico da literatura. Explorar os mais diversos formatos ajuda a despertar a curiosidade.

Entretanto, na hora de escolher qual livro comprar, uma dúvida é bastante comum entre os pais: qual é mais indicado para cada idade?

A primeira dica é, antes de qualquer coisa, criar o hábito de fazer visitas frequentes a livrarias, para que a criança possa ter contato direto com os livros e, assim, demonstrar quais mais interessam a ela.

Depois, você, como mãe, deve folhear os livros para observar que tipo de personagem chamou a atenção do seu filho. Da mesma forma, ler em voz alta algumas páginas da publicação também ajuda. Assim, você nota o que faz a criança sonhar, quais são as brincadeiras preferidas dela, quais emoções são despertadas ao ouvir a história. A criança sempre dá dicas daquilo de que mais gosta. É preciso, no entanto, estar sempre atenta.

Vale, também, fazer uma pequena pesquisa sobre os autores com maior destaque na literatura infantil. Isso dá maior segurança na hora da compra e, com certeza, diminuirá as chances de erro. Por fim, observe a indicação de idade no próprio livro. A maioria das editoras oferece essas sugestões, muito embora sejam apenas um norte, não devendo influenciar demasiadamente na escolha.

Mas algumas dicas funcionam bem. Confira:

Para os bebês
Livros com barulhos ou mesmo de plásticos, como os de banho, despertam muito o interesse dos bebês. Outra opção são os livros de pano, que deixam o pequeno à vontade para manuseá-los. O importante é que prestar atenção se ele pode ser levado à boca, ou seja, se não apresenta pontas ou peças que possam se soltar.

De 1 a 2 anos de idade
“Livros com texturas são os mais recomendados para essa idade, pois o toque é fundamental nesse período”, explica a educadora Joyce G. Trajano. As ilustrações também podem ser observadas, pois chamam bastante a atenção da criançada dessa faixa etária.

De 2 a 4 anos
Escolha livros repletos de figuras e ilustrações, com enredos mais curtos e letras grandes. Livros cartonados com páginas grossas também são opções recomendadas, pois facilitam o manuseio. Assim como os pop-ups, que interagem com as crianças dessa idade. A princípio, seu filho poderá pedir que você conte-lhe a história. Mas, aos poucos, vai descobrir como pode ser divertido “ler” do jeitinho dele.

De 4 a 6 anos
“É comum a criança ter mais interesse por livros que apresentem figuras conhecidas, como sol, árvores e flores com olhos e boca”, exemplifica Joyce.

De 7 a 10 anos
Nessa fase, a criança passa a se sentir atraída por super-heróis, vilões, príncipes, princesas e, claro, bruxas. Portanto, aposte nesses temas sem medo. Como elas estão começando a ser alfabetizadas, prefira livros com letras grandes e de forma, facilitando o entendimento.

Formando leitores

Christine Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto Ecofuturo, ensina 10 passos para que as crianças se tornem bons leitores:
 

  1. Leia em voz alta com a criança. Explore com ela livros e outros materiais de leitura, como revistas, jornais, folhetos, almanaques, manuais de instruções, cartazes e placas. Todo material impresso pode ser útil e gerar um momento de troca centrado na leitura.
  2. Ofereça a ela um ambiente rico em termos de letramento: faça atividades com leitura, mesmo com bebês e crianças bem pequenas, e continue fazendo com as crianças e os jovens que já estão na escola. 
  3. Converse com ela e escute quando fala. Isso ajuda muito no desenvolvimento da linguagem oral. 
  4. Peça para ela recontar histórias ou informações que você leu em voz alta. Cuidado apenas para que isso não acabe virando uma aula, pois não é esse o espírito da proposta. Tudo precisa ser agradável e descontraído.
  5. Incentive-a a desenhar e fazer de conta que escreve histórias. Peça, depois, que “leia” em voz alta. Afinal, as crianças têm o hábito de passar o tempo fazendo de conta que cozinham, que dirigem carros ou que são médicos e professores. Não se esqueça: a ideia é brincar de ler.
  6. Dê o exemplo: faça com que ela veja você lendo e escrevendo. E não diga que ela deve aprender a ser diferente de você, caso não goste de ler. O que conta não é o que você discursa sobre leitura, escrita e estudo - é o que você oferece como exemplo.
  7. Vá à biblioteca regularmente com seu filho. Se for uma espaço de empréstimo, é bom cada um ter sua própria ficha de inscrição. 
  8. Crie uma biblioteca em casa e uma pessoal para a criança, onde ela se acostume a guardar os livros e a buscá-los. Na hora de comprar presentes, lembre-se dos livros!
  9. Não deixe de fazer um pouco de mistério sobre a história, para aguçar a curiosidade da criança.
  10. Leve a criança sempre para rodas de contos, teatros infantis e atividades similares na sua comunidade.